sexta-feira, julho 04, 2008

Páginas de um diário(II)

Quinta feira, 12 de Setembro de 2013


Pergunto-me porque me sinto tão sozinha, porque é que esta história não acaba e não resolvo este círculo mental em forma de teia. Continuo a fugir dos meus fantasmas, creio.
Pergunto-me onde estava eu quando me deixei envolver com sentimentos perigosos como este mais uma vez, como não previ que me faltava a emoção da paixão pela paixão. Não sei mais o que fazer para te esquecer e acabar com esta angústia diária de te perder para uma emoção maior, para um sentimento real, em oposição a este passar de tempo, que até chega a ser agradável. Não sei como olhar mais para ti sem me sentir a menina que ficou presa ao passado e àquelas noites depressivamente solitárias.
Pergunto por onde andas, quando me perco em pensamentos negros. Ou nulos. Ou quando tu o fazes. Desespero por uma resposta, uma vez mais, agora neste fim de dia abafado.
Pergunto-me porque passaram tantos anos e continuo com todas estas dúvidas poéticas, porque continuo a não ver saída, mesmo sabendo agora que é mais profundo e pessoal do que queria fazer crer. E como podes ajudar-me se nunca me olhaste com os olhos pelos quais sempre chorei. Como o desejei... Como esperei por ti... como mantive a esperança, dia após dia... Como te segurei nos braços, quando via que não podias dar nada mais do que meia presença... Como chorei de tristeza pisada... e inchada. Como partilhei contigo essas lágrimas que mais ninguém viu. Como te abracei como jamais alguém acreditou, como mesmo tu só no auge das tuas fraquezas o permitiste...
Onde é que o vento nos levará amanhã? Como ficarei mais um dia na tua ausência? Como farei para suportar recordar o teu toque e a tua respiração? E a forma do teu corpo? E o teu cheiro? Como farei para seguir em frente?
Sinto um punhal no peito, como no primeiro olhar. Sinto a tristeza do teu amor por mim.

11 comentários:

Anónimo disse...

vim aqui parar por acaso... neste momento n tenh tempo para permanecer. mas voltarei. achei interessante a dualidade pt/ingl. os meus cumprimentos. filipe

Sonhadora disse...

Achei mt bonito este texto.

Se quiser passe pelo meu cantinho: http://momentos-pensamentos-sentimentos.blogs.sapo.pt

=)

Sonhadora

schecter disse...

Lindo texto. As vezes sinto que é difícil expressar certos sentimentos. Você se expressa deum jeito bonito.

Anónimo disse...

ás vezes damos mais valor ás coisas banais da vida.. ás pessoas que por ela passam e não damos valor a quem nos cria e a quem nos ama e luta por nós dia após dia.. gostei do texto.. mas nd nem ng nos prende ! Tal como so a mulher tem forças para ter um filho .. tambem só a mulher tem forças para esqeçer as fraquezas e seguir em frente !

Bybs disse...

você escreve muito bem!sabe colocar os sentimentos em palavras.
Gostei muito!

Mel disse...

Muito bom mesmo, passei aqui sem querer, mas acaba de ser um dos textos no qual qualquer um em determinada situação teria o prazer de se inspirar !

Anónimo disse...

lindissima .maravilhoso ...adorei muito ...

pri disse...

Nossa ameii !, passei aqui por acaso,e gostei muito, é um texto que me inspira por ser a atual situação que eu me encontro ..

Renata disse...

Nossa, parece que este texto foi escrito por mim...expressa exatamente o que sinto agora...

DarkSide disse...

muito bom pode passar pelo meu blog

http://amorosoamigo.blogspot.com/

Anónimo disse...

Simplismente lindo , maravilhosa a forma de você se expressar, de como você usa as palavras , de como você passa a intencidade do você tá sentindo. PARABÉNS